20210903_155430.jpg
2.png

WHATS

Fale aqui

pelo WhatsApp

WI-FI

Refúgio Capivari

Senha: belavista

REPRESA DO CAPIVARI

represa do capivari 2.jpg

A Represa do Capivari faz parte do Complexo Hidrelétrico Capivari-Cachoeira. 

Fundada em 1970, é o reservatório da Usina Hidrelétrica Governador Pedro Viriato Parigot de Souza, a usina hidrelétrica mais próxima da Capital Paranaense, Curitiba.

Com capacidade de aproximadamente 1,5 milhões de m³ e 16,3 Km² de área, constituído pelo barramento do Rio Capivari, está localizado no município de Campina Grande do Sul, distante 50 km de Curitiba, às margens da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116 - trecho Curitiba - São Paulo).

Palco de grandes torneios e eventos, as águas tranquilas do Capivari oferecem ao pescador opções, tais como de lambaris, tilápias, traíras e black basses, que são as espécies esportivas que habitam a represa.

Cada espécie tem sua época certa de captura. Mas a pesca ao bass, em especial, é a que sofre hoje o maior impacto na represa, pois as variações do nível da represa, bem como a pesca predatória reduziram a um nível muito baixo a espécie no Capivari. Esta já foi considerada uma das melhores represas do Brasil para pescar espécie. Por outro lado, a população de traíras e tilápias segue estável, com grandes exemplares em suas águas.

USINA PARIGOT DE SOUZA

USINA.jpg

Com quatro geradores ligados ao Sistema Interligado Nacional, a usina tem capacidade de produzir 260 megawatts (MW), que corresponde a 8% da capacidade total da Copel. Com esta potência, a unidade é responsável por abastecer todos os municípios do litoral do estado e parte de Curitiba.

Outro diferencial da unidade é o desnível entre a represa (localizada na região de Curitiba) e a usina (em Antonina), que chega a 750 metros. No caminho entre Curitiba e o litoral, a água percorre 22 km de túneis pelo meio da Serra do Mar e a forte pressão com que ela chega ao maquinário possibilita que a energia seja gerada com pouco volume de água.

 

A construção da usina demorou 10 anos. Oito apenas para as escavações nas rochas e dois para a instalação propriamente dita. De acordo com a Copel, os 630 mil m3 de rochas extraídas transformadas em brita poderiam pavimentar uma estrada de 400 quilômetros de extensão. Já as 900 mil sacas de cimento gastas na concretagem seriam suficientes para construir 30 edifícios de 50 andares.
 

Serviço

O acesso à Usina Governador Parigot de Souza é feito pela PR-340. As visitas podem ser feitas somente às terças-feiras e precisam ser agendadas pelos telefones 41-3432-1120, ramais 6729 ou 6782.
 

A Usina Hidrelétrica Pedro Viriato Parigot de Souza, em Antonina, é um passeio inusitado para quem está acostumado com roteiros convencionais no litoral paranaense. Diferente de qualquer outra atração da região, a usina da Copel é pouco visitada e está instalada em cavernas criadas nos subterrâneos da Serra do Mar.

Além da localização, a estrutura e o funcionamento da usina são uma atração à parte. Criada na década de 70, ela utiliza a água do Rio Capivari, que fica represada na região de Curitiba (a 830 metros acima do nível do mar) e chega a Antonina por um túnel escavado no meio da serra.

A peculiaridade do roteiro começa no caminho que leva a todo o maquinário da usina. É preciso seguir de carro por um túnel com 1,1 km de extensão e desnível de 105 metros, que possui iluminação discreta. No percurso, grandes pedaços de rocha ficam aparentes, além dos cabos de alta tensão que, devidamente isolados, conduzem a energia até a subestação localizada do lado de fora. A sensação claustrofóbica despertada no túnel acaba assim que se chega à usina. Com iluminação branca, o ambiente não parece estar debaixo da terra.

No interior das cavernas, o visitante acompanha todo o trajeto que a água faz para ser usada na geração de energia. É possível sentir a passagem da água pela tubulação ao tocar nos grandes tubos, que, mesmo com vários metros de diâmetro, estremecem constantemente


Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/especiais/litoral/energia-que-vem-do-subterraneo-5ezp2wve1we76nc34w6wlxiz2/ 
Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

USINA 2.jpg

PICO CAPIVARI GRANDE E MIRIM

pico capivari grande.jpg

Da cadeia de montanhas da Serra do Mar que vislumbramos da casa, a maior delas é o Pico Capivari Grande, com 1.662 metros de altitude

O Pico Capivari Grande está localizado na divisa dos municípios brasileiros de Campina Grande do Sul e Antonina, no estado do Paraná.
Para se chegar no caminho mais fácil para a subida ao Pico deve-se seguir pela Rodovia Régis Bittencourt até o Posto Alpino, onde há uma entrada à leste onde uma boa parte do caminho pode ser feita de carro por uma estrada construída para a construção e manutenção de grandes torres de telecomunicações instaladas num dos cumes secundários.


A subida das torres até o pico dura em torno de 2h em uma passada mais lenta. No pico, à leste é possível observar a Baía de Antonina, já à Oeste pode-se ver a Represa do Capivari e parte da Rodovia Régis Bittencourt que é um trecho da BR-116.